“Observava as pessoas à distância, como numa peça de teatro. Apenas eles estavam no palco e eu era platéia de um homem só.”
Charles Bukowski. (via acrescentada)

“Ah que droga, lá estava eu dando reply em seus áudios, a tua voz me causava arrepios, o seu timbre se encaixava perfeitamente com as batidas do meu coração e juntos saíam uma doce melodia. Aquela voz, era A voz, não tinha outra explicação, era ela que me acalmava, era ela que sei lá, era ela pra tudo. Eu estou confuso, quer dizer, eu já era confuso, só que agora além de eu estar confuso meu coração também esta. Eu preciso fazer algo, eu preciso impedir que está confusão se propague muito mais, eu preciso tentar sair, eu preciso, antes que seja tarde.”
João Paulo Ferreira.  (via prolificar)



“Você tem estado em meus pensamentos todos os dias.”
Paris 1995.    (via erzdiozese)

“Algumas coisas eu prefiro fingir que não vi, não ouvi, não senti. Não é que eu seja esnobe ou qualquer outra coisa. É que assim, fingindo, eu vou levando. Vou aguentando por mais tempo.”
Casebre.   (via rehashh)


“Tudo é denso, tenso, imenso quando penso.”
Eu me chamo Antônio (via sonhosdesperdicados)

Você não me faz bem.

E se eu conhecesse a te contar que você é o motivo da minha depressão? Que você atrapalha o meu tratamento, que quando a gente não se fala minha mente vai a mil, parece que o meu pessimismo abito de ficar acordada até tarde piora, a falta de sono, a nostalgia noturna, fico chateada quando não fala comigo. Você realmente não me faz bem, mas você também é o remédio, a cura, a solução.


“Estou bem, só que não tenho apetite. […] Meus nervos costumam me dominar, especialmente aos domingos; é quando me sinto péssima. A atmosfera é sufocante e pesada como chumbo. Lá fora não se ouve um pássaro, e um silêncio mortal e opressivo paira sobre a casa e se gruda em mim, como se fosse me arrastar para as regiões mais profundas dos abismos subterrâneos. Em tempos assim, papai, mamãe e Margot não têm a menor importância para mim. Ando de cômodo em cômodo, subo e desço escadas e me sinto um pássaro de asas cortadas, que fica se atirando contra as barras da gaiola. “Me deixem sair para onde existem ar puro e risos!”, grita uma voz dentro de mim. Nem mesmo me incomodo mais em responder, só fico deitada no divã. O sono faz o silêncio e o medo terrível irem embora mais depressa, ajuda a passar o tempo, já que é impossível matá-lo.”
O Diário de Anne Frank. (via promessasvazias)



“Sempre fui um pouco áspero, fechado, sempre tive dificuldade de receber amor.”
Caio Fernando Abreu.   (via destritos)